Empreender agora?

Empreender agora? artigo originalmente publicado na coluna Meu Dinheiro no jornal Super Notícia em 12/08/2015

“Trabalho como bancário, mas já faz algum tempo que estou planejando abrir o meu próprio negócio. Fiz diversos cursos na área de massoterapia e descobri que essa área é minha verdadeira paixão. Estive em outros Estados buscando aprender com especialistas, inclusive de outros países. No período em que estou amadurecendo a ideia, aproveitei para fazer uma série de pesquisas. Inicialmente, levantei em minha cidade todas as clínicas que trabalham com massagem. Fui a cada uma delas como cliente e anotei todos os pontos positivos e negativos.

Depois conversei com alguns amigos e amigas que utilizam o serviço e apresentei para eles a minha ideia. Procurei mostrar quais serão meus diferenciais e até mesmo o preço que pretendo cobrar. Todos ficaram empolgados com o projeto.

Passei então a buscar um endereço onde pudesse instalar minha clínica. Procurei um imóvel na região central da cidade, mas um pouco mais afastado do centro comercial. Uma preocupação era ter uma facilidade de estacionamento. Consegui que uma amiga arquiteta fizesse o projeto para a reforma. Fiz um orçamento, e o valor é um pouco menor do que o valor que já tenho guardado. Já conversei na minha agência e existe uma possibilidade de, caso eu decida empreender, ser demitido pelo banco. Com isso, minha economia vai crescer bastante. Já fiz uma projeção e precisarei atender diariamente pelo menos dois clientes para que meu faturamento seja suficiente para pagar todas as minhas despesas (aluguel, luz, telefone, faxineira e impostos). Pretendo fazer uma divulgação, principalmente estabelecendo convênios com algumas empresas, como a própria agência bancária onde hoje trabalho. Posso fazer também uma redução nos meus gastos de casa, e minha esposa já se dispôs a me ajudar um pouco mais nas despesas do lar. Ela trabalha como advogada em um escritório e tem um bom salário. Já tenho inclusive um plano de expansão. Pretendo depois criar um serviço especial para a terceira idade. Já li diversas reportagens que mostram o crescimento nos próximos anos dessa parcela da população. O grande problema é que todos os meus amigos têm me dito que, em virtude da crise, esse talvez não seja o melhor momento para colocar de pé o meu projeto. Acham que será muito arriscado. O que você acha?”(Renan, Patrocínio-MG)

Renan, a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2014, realizada no Brasil pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), mostrou que nos últimos dez anos a taxa de empreendedorismo no Brasil saltou de 23%, em 2004, para 34,5%. Em outras palavras, três em cada dez brasileiros adultos, entre 18 e 64 anos, possuem uma empresa ou estão envolvidos com a criação de um negócio próprio. Mas abrir um negócio é uma atividade de risco. Muitos negócios não completam o primeiro ano de vida.

Para ajudar a diminuir os riscos do negócio, as entidades de fomento ao empreendedorismo sugerem que o empreendedor elabore um plano de negócios antes da abertura da empresa. Foi exatamente isso que você fez nos últimos meses. Pesquisou a concorrência e os futuros clientes. Fez estimativas dos investimentos necessários e das receitas e despesas futuras. Estruturou um plano de divulgação. E preparou sua vida financeira pessoal para um começo mais difícil de negócios. Ou seja, você vem se preparando para realizar o seu sonho.

Acredito que você está bem preparado. O momento econômico é só mais uma dificuldade que você irá enfrentar. Lembre-se que, apesar de diminuir o risco do negócio, sua preparação não acaba com ele.

Crie bons hábitos em 2015. Invista em sua educação financeira.